Donald Trump Jr. divulga e-mails sobre reunião com advogada russa

0

WASHINGTON (DJ Bolsa)– O filho mais velho do Presidente dos EUA, Donald Trump, participou numa reunião em junho passado para discutir informações incriminatórias sobre Hillary Clinton. Foi-lhe dito que esta informação estava a ser oferecida no âmbito do apoio do governo russo à candidatura do seu pai, de acordo com os e-mails publicados esta terça-feira.

Donald Trump Jr. recebeu um e-mail a 3 de junho de 2016 de um publicitário britânico, que dizia que um dos principais procuradores russos “se ofereceu para dar à campanha Trump alguns documentos oficiais e informações que incriminariam Hillary e as suas relações com a Rússia e que seriam muito úteis para o seu pai “.

O publicitário disse que o procurador tinha comunicado esta oferta ao bilionário azerbaijano-russo Aras Agalarov que, junto com o filho, a estrela pop Emin Agalarov, organizou o concurso Miss Universo 2013 em Moscovo juntamente com o Presidente e desenvolveu uma relação com a família Trump.

“Esta é, obviamente, informação de nível muito elevado e sensível, mas faz parte da Rússia e do apoio do governo a Trump – ajudado por Aras e Emin”, escreveu o publicitário, Rob Goldstone, no e-mail que enviou ao filho de Trump. “Qual acha ser a melhor maneira de lidar com esta informação e estaria disposto a falar com Emin sobre isso diretamente?”

O filho do presidente disponibilizou-se a falar com Emin Agalarov sobre o assunto. “Se é o que me diz, adoro”, escreveu Trump Jr., sugerindo que a informação seria boa para divulgar “mais tarde durante o verão”.

Num comunicado, o Trump Jr. disse acreditar que os Agalarovs tinham informação de oposição política sobre Clinton e sugeriram que se encontrasse com uma advogada russa em Nova Iorque para discutirem o assunto.

“Quis primeiro receber um telefonema mas, quando isso não aconteceu, disseram que a senhora estaria em Nova Iorque e perguntou se poderia encontrar-me com ela”, disse Trump Jr. num comunicado. “Decidi ir à reunião.”

O filho do Presidente disse esta terça-feira num comunicado que a advogada, Natalia Veselnitskaya, não trabalhava para o governo russo. Veselnitskaya também negou os laços com o Kremlin. Mas Goldstone, que trabalhava para os Agalarovs, descreveu a advogada num e-mail para Trump Jr. como “uma advogada do governo russo que viajaria de Moscovo”.

A comunidade de serviços secretos dos EUA concluiu que o Presidente russo, Vladimir Putin, ordenou a criação de uma campanha para influenciar o resultado das eleições dos EUA em 2016 a favor de Trump. Uma comissão especial empossada pelo Departamento de Justiça no início deste ano está a investigar se os assessores da campanha Trump agiram em concertação com Moscovo.

– Por Paul Sonne (paul.sonne@wsj.com)

Partilhar

A seção de comentários está encerrada.