Fed/Yellen: Inflação baixa deve levar a ritmo mais lento de subidas juros

0

(DJ Bolsa)– A presidente da Reserva Federal dos EUA, Janet Yellen, defendeu esta terça-feira a projeção do banco central de um rumo gradual para os aumentos das taxas de juros nos próximos anos, embora tenha dito que a baixa inflação, se persistir, poderá levar a um aumento ligeiramente mais lento das taxas.

Yellen e os colegas têm enfrentado um crescimento moderado da inflação durante a maior parte do ano, apesar do crescimento económico e do mercado de trabalho robusto. Isso tem apresentado um dilema aos responsáveis.

Por um lado, as leituras fracas da inflação podem ser um sinal de que as taxas de juros devem continuar abaixo do previsto. No entanto, manter as taxas de juros baixas por muito tempo pode fazer com que a inflação cresça rapidamente e provocar novas bolhas financeiras.

A inflação, segundo o indicador preferencial da Fed, o índice de preços com gastos no consumo pessoal, ou PCE na sigla em inglês, ficou aquém da meta de 2% do banco central na maior parte dos últimos cinco anos. Embora Yellen tenha dito que espera que a inflação se mova gradualmente em direção ao alvo, reconheceu a incerteza em torno dessa previsão.

“Como deve a política ser formulada face a incertezas tão significativas? Na minha opinião, ganha força o argumento a favor de um ritmo gradual de ajustes”, disse Yellen, em declarações preparadas para um discurso numa conferência económica em Cleveland. “Seria imprudente manter a política monetária até a inflação voltar aos 2%”.

Aumentar demasiado rápido pode diminuir o crescimento desnecessariamente, disse. “Mas devemo-nos preocupar em subir as taxas gradualmente”, acrescentou. “Movimentar os juros muito devagar pode criar um problema de inflação ao longo do trajeto que pode ser difícil de superar sem provocar uma recessão”, rematou.

– Por David Harrison (david.harrison@wsj.com)

Partilhar

A seção de comentários está encerrada.