Portugal: Comissão Europeia aponta contexto externo e banca como riscos

0

LISBOA (DJ Bolsa/Webtexto)– O ajustamento económico de Portugal após a saída do programa de resgate é “louvável”, mas o país continua exposto a choques externos e a problemas com a banca nacional, disse a Comissão Europeia.

A comissão diz que as reformas estruturais com impacto no orçamento mantêm-se, ainda que sejam lentas, de acordo com o relatório da sexta missão de monitorização pós-programa a Portugal, publicado esta sexta-feira. Nomeadamente, o braço executivo da União Europeia refere que deveria haver uma avaliação mais ampla das despesas do Estado e deveriam ser definidos alvos específicos para a poupança.

A comissão aponta o crescimento económico acima do esperado no primeiro trimestre, sustentado nas exportações e investimento, mas nota também riscos. Numa altura em que Espanha, o principal parceiro comercial de Portugal atravessa um momento de turbulência política, a comissão nota que a economia continua vulnerável a desenvolvimentos externos e que o sistema bancário continua a enfrentar dificuldades.

Apesar de os bancos terem continuado a desalavancar e reforçado o capital, o sistema como um todo continua a enfrentar baixas rentabilidades, almofadas de capital relativamente baixas e um crédito malparado que se mantém elevado.

A missão da Comissão Europeia e do Banco Central Europeu esteve em Lisboa entre 26 de junho e 4 de julho e regressará em novembro de 2017.

– Por Carla Canivete (carla.canivete@webtexto.pt)

Partilhar

A seção de comentários está encerrada.