Novo Banco: Prejuízo do grupo aumenta; atividades recorrentes geram lucro

0

LISBOA (DJ Bolsa/Webtexto)– O Novo Banco disse, esta sexta-feira, que o prejuízo líquido do grupo subiu nos primeiros nove meses do ano, devido às perdas relacionadas com a reestruturação e desalavancagem de alguns ativos. Contudo, as operações recorrentes do banco, aquelas que não incluem os ativos herdados do Banco Espírito Santo, registaram um aumento dos lucros.

O prejuízo líquido da totalidade das atividades do banco foi de 572,3 milhões de euros ($630,7 milhões), um número que fica acima dos EUR390,6 milhões do período homólogo.

O chamado Novo Banco Recorrente registou um lucro de EUR140,1 milhões, mais do que os EUR38,8 milhões do período homólogo.

Já o Novo Banco Legacy, que conta com o legado dos ativos do BES, teve um prejuízo EUR712,4 milhões, o que compara com EUR429,8 milhões.

A margem financeira — diferença entre os juros pagos nos depósitos e cobrados nos empréstimos — do grupo Novo Banco subiu 22% para EUR401,7 milhões contra EUR329,4 milhões no mesmo período do ano passado.

Já a margem financeira do Novo Banco Recorrente aumentou quase 30% para EUR361,3 milhões, contribuindo para os lucros deste segmento. A margem financeira do Novo Banco Legacy caiu, ao passo que as provisões contra crédito malparado cresceram 52%.

Os resultados das operações financeiras do grupo diminuíram para um resultado negativo de EUR44,3 milhões, frente a um resultado positivo homólogo de EUR7,8 milhões.

As provisões contra crédito malparado do grupo quase duplicaram para EUR456,2 milhões, contra EUR232,6 milhões.

O rácio CET1 situava-se nos 13,5% a 30 de setembro, de acordo com as regras da Autoridade Bancária Europeia numa base de implementação total.

– Por Eduardo Correia (eduardo.correia@webtexto.pt)

Partilhar

A seção de comentários está encerrada.